terça-feira, 18 de agosto de 2015

A VIAGEM DE CHIHIRO - HAYAO MIYAZAKI

Título Original: Sen to Chihiro no Kamikakushi
Título Internacional: Spirited Away
Título no Brasil: A Viagem de Chihiro
Produção: Studio Ghibli
Direção: Hayao Miyazaki
Script: Hayao Miyazaki

Trilha Sonora: Joe Hisaishi
Classificação: Livre 
Gênero: Aventura, Fantasia
Prêmios: Oscar de Melhor Filme de Animação – 2003; Urso de Ouro no Festival de Berlim – 2002






Olá, pessoal! Como estão?
Hoje vim trazer mais uma resenha aqui no blog, mas dessa vez não é sobre livros, e sim sobre um dos meus filmes favoritos: A Viagem de Chihiro.

O filme conta a história de Chihiro, uma garotinha de 10 anos que está se mudando com seus pais para uma casa longe de sua antiga escola e seus amigos, o que a deixa muito frustrada. No caminho da mudança acabam se perdendo e vão parar em frente a um estranho túnel. Ao atravessarem o túnel os pais de Chihiro acham que estão em um Parque de Diversões abandonados e, após explorar um pouco o local encontram um restaurante vazio, no qual decidem parar para comer. Chihiro, porém, se recusa a comer e vai dar uma volta, e quando volta ao restaurante descobre que seus pais foram transformados em porcos. A partir daí, a história começa a se desenrolar e, para salvar seus pais e voltar para o seu mundo, Chihiro se vê obrigada a trabalhar na casa de banhos da bruxa Yubaba, onde passa por aventuras completamente bizarras.


Sabe aquele tipo de filme que você se encanta já nos primeiros minutos e depois que assiste não consegue esquecê-lo? Então, A Viagem de Chihiro é exatamente esse tipo de filme!

Eu, particularmente, acho o filme muito parecido com Alice no país das Maravilhas e Coraline, pois as três histórias se passam em um mundo paralelo, onde as garotas tentam voltar para o seu mundo e, no caso de Coraline, ela também precisa salvar seus pais. Porém, Alice e Coraline se mostram mais maduras, enquanto Chihiro possui uma inocência maior, mas isso muda com o desenrolar da história.


A princípio a história pode parecer infantil e boba, mas com certeza não é! Apesar da animação envolver deuses, dragões e bruxas, é adequada a todas as idades. O filme emociona com pequenos detalhes e traz significados como o da lealdade e da coragem.

Os personagens são uma das coisas que mais me encantou no filme. Cada um possui características muito únicas e é muito fácil se identificar com algumas delas. Além disso, devido suas diferentes personalidades, é impossível não se apaixonar por alguns destes personagens.

Algumas pessoas podem achar Chihiro um pouco chatinha no começo, mas é interessante ver como ela evolui com o decorrer do filme e se torna uma menina muito querida e corajosa, disposta a fazer de tudo para ajudar as pessoas que ela ama.

Além de Chihiro, há também Yubaba, Lin, Kamagi, Zeniba e o Sem Rosto (que me conquistou completamente, embora eu ainda não saiba exatamente o motivo), e cada um tem um papel importante na história.


Os cenários são lindos e as cores combinaram muito bem com cada paisagem. Os traços são simples e se encaixam perfeitamente com a história. A movimentação dos personagens é fluída e as cenas são bem desenvolvidas e compostas por muitos detalhes. A dublagem também ficou boa, e para mim as vozes combinaram bem com os personagens. Além disso, a trilha sonora criada por Joe Hisaishi também é linda e completa muito bem as cenas. Enfim, esse filme realmente é uma obra de arte!

Embora a história seja bem detalhada, não é cansativa. Os segredos que são revelados ao decorrer do filme dá mais vontade de saber o final. 

Se você gosta de animação, vale a pena assistir. E se você não gosta, assista também, tenho certeza de que irá gostar! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário