segunda-feira, 19 de setembro de 2016

A PEQUENA LOJA DE SUICIDAS

Filme: A Pequena Loja de Suicídios
Nome original: Le Magasin des Suicides
Ano de Lançamento: 2012
Direção: Patrice Leconte
Roteiro: Patrice Leconte baseado na obra de 2007 do escritor Jean Teulé.
Elenco: Bernard Alane, Isabelle Spade, Kacey Mottet Klein, Isabelle Giami e Laurent Gendron.
Duração: 1h25m
Gênero: Animação; Comédia; Musical.








Hey pessoal, como estão? :)

Hoje vim trazer a resenha do filme A Pequena Loja de Suicidas, que assisti recentemente e amei. Além de eu ter amado o filme, também associei à campanha que está ocorrendo nas redes sociais, a #SetembroAmarelo, que busca a prevenção dos atos suicidas, que infelizmente estão muito mais presentes em nossa sociedade do que imaginamos. 



A Pequena Loja de Suicidas se passa em uma cidade onde é proibido cometer suicídio em público, porém, todos os residentes desta cidade sempre estão cabisbaixos e demonstrando altos índices de depressão. 

Nesta cidade há uma loja na qual se vende todos os artigos que se possa imaginar para cometer suicídios, como venenos, cordas e até mesmo espadas e outras armas.

A loja pertence a uma família na qual todos são infelizes, onde os sinais de depressão são sempre muito notáveis e tratados como algo natural. A família é composta pelos pais e mais três filhos, dentre eles apenas uma é menina. Durante o filme há várias cenas onde os filhos dizem coisas sobre se matar, se mutilar ou demonstrando infelicidade e baixa autoestima, entre outros problemas psicológicos. 



Quando o filho mais novo nasceu todos ficaram infelizes com ele, pois desde sempre ele foi uma criança alegre e positiva, que preza pela sua saúde e tem amigos, fugindo totalmente do padrão depressivo da família. Este filho mais novo sempre questiona e fica intrigado com o modo que sua família vive, e sempre tenta mudar isso, mesmo sendo em vão.



Alan, o filho caçula e a decepção daquela família melancólica, se sente muito incomodado com o estado de sua família e das demais pessoas que vivem ao seu redor, e junto com seus amigos eles elaboram planos julgados infalíveis para conseguirem trazer uma vida de alegria para todas aquelas pessoas. 

O filme é uma animação musical. Eu sempre fui um tanto relutante em relação a filmes musicais, porém, A Pequena Loja de Suicidas consegue ser um musical sem apelar tanto, sem o exagero que costumo presenciar em filmes do gênero. 

A forma de animação representou muito bem o cenário depressivo buscado pelo filme, e acredito que um filme composto de pessoais físicas não conseguiria transmitir tão bem tudo o que a animação transmite, pois esta utiliza sempre de cores e expressões (tanto faciais quanto corporais) que evidenciam com clareza o que se passa nos pensamentos daquelas pessoas e expressam bem suas dores. Além disso, a animação junto com o musical transformaram uma doença muito séria em algo artístico, conseguiu representar a angústia da doença de uma forma que abrange mais pessoas e as fazem compreender melhor o assunto tratado. 



O final do filme é realmente algo muito bonito, e transmite uma mensagem muito boa. Acredito que este seja o tipo de filme recomendados à todos aqueles que possuem a doença, que conhecem alguém que possui ou aos que apenas têm curiosidade no assunto. É claro que não é um filme com função educativa, mas serve bem para ver as coisas não só de um ponto profissional e sim da pessoa que possui os problemas. 

Outro ponto muito interessante no filme é que ele não mostra apenas jovens com desejos suicidas, como geralmente é retratado em muitos lugares. O filme também mostra pessoas idosas, que praticam esportes, que possuem algo que amam e etc, todas buscando o mesmo consolo num triste final.

Eu super recomendo este filme a todos, pois achei muito construtivo e acredito que pode ajudar, mesmo que pouco, muitas pessoas, tanto a entenderem a tendência suicida quanto a aprender a lição de vida que o filme traz. 

Bom, pessoal, por hoje é isso. Se vocês conhecem alguém que passa por isso ou se vocês mesmos passam, assistam esse filme, tenho certeza de que irão gostar. E procurem ajuda, profissional ou emocional, pois isso pode ajudar MUITO, e é o que todos nós queremos. Depressão não é brincadeira, é uma doença séria, que leva muitos de nós todos os dias, mas com nosso apoio e ajuda podemos melhorar isso.#SetembroAmarelo 

Espero que tenham gostado. Abraços e até o próximo post.


3 comentários:

  1. Eu não conhecia o filme,mas vou anotar para assistir depois. Gostei muito do enredo do filme
    Bjs!
    Refúgio da Ju

    ResponderExcluir
  2. Que bom que gostou! É um ótimo filme. :) Quando assistir me diga o que achou. :)

    ResponderExcluir
  3. Olá! Não conhecia o filme. Mas fiquei feliz com a forma encontrada para retratar algo que por vezes, não é bem assimilada pelas pessoas. Por mais obras como essa e que possamos enfrentar de peito aberto a depressão e outros distúrbios. Parabéns pela resenha. Beijos.

    ResponderExcluir